Nº 02

All’alba vincerò

A paz de Cristo,

Nesses últimos dias estava escutando algumas canções clássicas, até que me veio à mente uma canção de Giacomo Puccini chamada Nessun Dorma (Ninguém Durma em italiano). A canção retrata a ultima noite de um príncipe desconhecido que está encarcerado nos seus sentimentos pela princesa Turandot. A princesa que deseja saber o nome do cavalheiro lança um desafio de conquistar a vitória que é saber o seu nome. Até que a princesa ordena que todos venham a dormir. No exato momento ele começa a cantar, e em sua canção, as ultimas palavras que ele diz, são as tais: All’alba vincerò (Ao amanhecer vencerei, em italiano).

Essa canção foi escrita em meados de 1900, e hoje nos trás uma reflexão poderosa.

Às vezes nós nos sentimos a beira da morte, como prisioneiros das nossas paixões, e em saber que por conta disso amanhã poderemos até morrer, o nosso coração se enche de dores e tristezas. Sabe-se que existem poder em nossas palavras, e as simples palavras de “ao amanhecer vencerei” trás a nós a realidade de alguém que está sofrendo consigo mesmo e o seu desejo por vencer.

A bíblia nos relata, através de Davi, no Salmo 30. 5b: “…o choro pode durar uma noite…”, isso me fez refletir em, quantas noites tem essa noite? Como seres humanos, com características até impensadas, irracionais, as vezes, nos concentramos na noite, no “tic-tac” do relógio, nos minutos que são lentos para passar. As dores da noite vem a nós, como um sentimento pessimista, triste nos fazendo pensar que acabou, e não veremos o sol nascer mais uma vez.

Se pudéssemos crer, ou ver o amanhã, não sentiríamos tantas dores quanto hoje sentimos. O que interessa é o final do verso que diz: “…mas a alegria vem ao amanhecer.”. Você pode estar até vivendo várias noites seguidas da sua vida imaginando que o amanhecer não vai chegar. Mas cremos que a palavra é a verdade, e se o Senhor nos disse que vai amanhecer, é porque vai.

Pastora Ana Paula, da Quadrangular em Piracicaba/SP, costuma dizer: “No final, tudo termina bem. Se as coisas ainda não estão bem, é porque ainda não é o final.”. Isso não deixa nunca de ser uma grande verdade. O amanhecer sempre vem depois da noite fria e escura, o pódio sempre vem depois de uma batalha as vezes sangrenta, a medalha vem depois dos esforços físicos gastos numa corrida eufórica até a linha de chegada.

Quero terminar minha reflexão, dizendo as palavras que ouvi o Senhor dizer pra mim a alguns dias atrás: “Ele faz o Seu caminho no meio da tormenta.”. Esteja certo, o amanhecer vai chegar, e com isso All’alba vincere (Ao amanhecer venceremos).

Um grande abraço!

Ev. Micael Barbosa